10.21.2008

Entre amigos...

Eles se encontraram logo no final da tarde. Ela (Lara) vinha de uma sessão de fotos e ele (Dino) de algumas compras para reforma da casa. Eles comeram, assistiram um pouco de TV e enquanto ele arrumava o bar improvisado de sua casa, ela sentada contando sobre seu término, ele ouvia e também falava do seu. Fazia muito tempo que eles não conversavam assim, já era noite quando ele terminou de arrumar a bagunça que fizera. Estava sem carro, o que impediu de assistir a apresentação de um amigo. Uns amigos, do curso que fizeram juntos, os chamaram para uma festa. Receberam carona de uma amiga (Duma) e foram.

Naquela noite queriam esquecer o que passavam, queriam beber o quanto agüentassem e dançar...dançar muito. Duma, também estava neste espírito, queria sair, aproveitar os amigos e o que mais aparecesse.

Passaram antes no supermercado para comprar algumas bebidas. O sábado estava meio friozinho, em qualquer outro, eles desanimariam de sair e prefeririam um filme, pipoca e um cobertor, mas naquele sábado eles queriam que tudo se fudesse. Chegaram na casa da festa, tinha pouca gente, a maioria das pessoas não haviam chegado. Na sala, tinha um videokê, Lara e Dino, correram para cantar a musica que é de praxe deles cantarem juntos em videokê. Começaram com cerveja. Havia frutas. Chegaram mais amigos. A festa ficava animada e eles também. Riam, cantavam e bebiam. A casa, era imensa, a pista de dança na cobertura com um Dj. Dino, que não havia subido desde quando chegara, resolveu subir para ver, Lara e Duma, subiram em seguida, os três dançavam, pulavam, gritavam na janela "Eu sou puta meeeeeeeesmôooo!". Brindaram a solterisse. Diziam "Reveillon, nós na praiaaaaaa!". Não queriam saber de mais nada. Bons amigos, cerveja e música. Aos poucos todos subiram, a animação era geral, todos bebendo muito e todos também se conheciam. Dino já havia reparado num cara, que muito lhe interessou. Duma, queria o dono da festa, que por sinal, brigava o tempo todo com a namorada. Era do tipo homem, rústico. Duma, fervia por ele. Já Lara, ía na dança, não tinha ninguém que a interessasse, mas ao mesmo tempo, tudo era possível.

Às 03h30 da madrugada, Dino e Duma, desceram e foram para os fundos da casa, onde seria a lavanderia. Lá estava um grupo com dois caras e três meninas, que se beijavam, uma delas com o namorado, que observava de fora a farra. Duma e Dino, não exitaram e entraram na pegação. Eram 07 se beijando. Aos poucos foram chegando mais pessoas, eram a princípio, três caras, e quatro mulheres, depois tendo quase nove mulheres, que se beijavam. Eram trios, quartetos, duplas. Lara, quando chegou estranhou tudo, mas entrou na farra, afinal não tinha nada a perder. O cara que Dino reparava, entrou e uma menina foi logo pegando e beijando, Dino foi o segundo. O rapaz, não esperou outra oportunidade e eles começaram a se pegar. Ali na frente de todos. Estavam todos brincando. A brincadeira acabou e os dois continuaram a pegação. Duma foi para cima do dono da festa. Enquando Lara, tentava não magoar um cara, muito gente boa, que ficara.

A manhã já se aproximava. O som alto que já tinha tocado de tudo, agora melava com pagode, o que trazia uma nostalgia e sono pro ambiente. Lara parou na janela, lá na cobertura e pensou. Dino, não estava com sono, saiu e curtiu a manhã, da melhor maneira possível. Duma, ainda esperava que algo acontecesse com o dono da festa – teria acontecido tudo, se a namorada dele não estivesse lá.

4 comentários:

Clara disse...

Hum...delicia..
Uma musica...
Pinga..
beijo...
Putaria...
Lagrima...
Saudade...
Zelo...
Tesão...
Amigos...

Adoroooooooooooooooooooooooooooo

Filipe Macedo disse...

uhummm...como diria algum amigo meu


Dé-Licia né?

rsrs

bons ventos..amo você

vah...em minhas transições disse...

oiii,
parabéns por ontem! o grupo de vocês é muuuito legal, adorei o trabalho de vocês! e quero ver de novo se possível^^...pena que com toda a correria não consegui falar com vc pessoalmente neh, mas acho que outras oportunidades aparecerão...^^

abraço e uma semana cheeeeia de enrgia pra ti!

com carinho
vah=)

Keila disse...

Oi Adriano!

Que história em!
Quem nunca viveu isso que viva!!!
Uma beijoca
e vi seus comentarios no meu blog!!
hehehehe
Keila