12.31.2006

10 ( dez ) Momentos Marcantes - PRIMEIRO

Vem cá! Vem!

Não, não tem ninguém casa.

Deita na cama!

Não tem ninguém casa, meus pais viajaram e meus irmãos só chegam a noite!

[ baixinho, sussurrando ao pé do ouvido ]

Tira a roupa pra mim, vai...Tira pra mim!

[ sorriso e gemido ]

Isso...Tira tudo!

Ah que delícia! Você é demais!

[ gemido ]

Vem aqui!

Isso, deita...

[ sussurando ]

Fica assim pra mim, fica?! Maravilha...

Deixa..Deixa! Vai ser devagarinho, você vai gostar!

[ leve suspiro, gemido ]

Huum!

......

[ ápice ]

......

( tempo )

......

( acendendo um cigarro )

Me diz uma coisa: Qual seu nome mesmo?


( Adriano Veríssimo )

12.22.2006

Tempo * Natal

Parado

Li uma mensagem de Feliz Natal da Mônica...

Calma

[ uma lágrima ] pausa [ respiro ]

só um minuto vou enxugar essa lágrima

(tempo)

Pronto! Voltei... Desculpa, ninguém aqui está entendendo nada.

Não sei por que estou assim, acho que porque é Natal!

[ suspiro ]

Não escrever mais, por que se não, vou parar novamente para enxugar outras lágrimas.


Ótimo Natal à todos!

Harmonia, paz e saúde...para nós, para o mundo!

Bjo grande,

12.19.2006

Soletrar!


Ser poeta é estar em páginas e páginas com rimas, com amor, sentimento e verdade. Ser poeta é estar filtrado ao seu próprio ser irreconhecível. Como um prazer em chorar e no escurecer acordar no infinito, súbito, prazer em chorar. Será? Quero te conhecer sim! conhecer mais do que me conheço. Rimando e soletrando o dia. Claro! Como nunca pensei nisso? Soletrar é a palavra. Soletrar meu nome e descobrir que a cada letra soletrada me encontrarei, saberei mais de mim, saberei meu nome.
Junto a tão grande galardão, penso, penso e penso! um poeta não pode parar de pensar. O conteúdo das folhas em sua frente estão de pensamentos. As folhas de girassol, do verde, de pão que meus avós faziam seus cigarros, nessas folhas encontram a verdade de um homem, um homem que mesmo novo, sabe o quão importa o poema. O poema da vida!


( Adriano Veríssimo )

12.13.2006

FRIENDS!!!


Meus amigos!

Sem eles acho que não conseguiria me manter de pé. Difícil seria ser o Adriano Veríssimo, sem essas pessoas, que me apoiam, que puxam minha orelha, que já foram meus pés, que colocaram minha cabeça no lugar e que souberam enxugar as minhas lágrimas sem nenhuma obrigação.

Nesse ano percebi, mais uma vez, o valor de ter pessoas a sua volta, no entanto não são pessoas comuns, mas pessoas especiais, pessoas que compreendem - e compreendo também - que nós, meros seres humanos, somos falhos, errantes e semelhantes. Soube perdoar, soube pedir perdão, soube ser eu mesmo, soube valorizar, soube olhar e ser olhado, soube ser mais amigo. Digo, não serei mais eu, se eu não tiver essas pessoas a minha volta.



Grande abraço para meu irmão-manu-truta-grilo Rafael, que confio e admiro copiosamente.


Beijo enorme para minha migona-eternity love-totalmente demais-Paixão Mayara, agora Maya Medeiros ( risos ), que nos compreendemos e se as vezes não nos falamos por loucuras da vida, nos localizamos por sentimento e maturidade, uma mulher que adoro de paixão.

Beijo enorme para minha amiga-irmã-chukichuki-paixão-coração-companheira Carol, que me acompanha quase que diariamente, que me ajuda, me ouve e chora comigo a qualquer momento e vice-verso, uma mulher assas especial que eu amo.

Beijãozão para minha miga-especial-sincera-simples-valiosa Kizzy, que mesmo em pouco tempo de reencontro, me faz muito bem quando estamos juntos e que sinto demasiada falta quando estamos longe, admiro-a e um carinho enorme tenho por essa mulher linda.

Outras pessoas na qual tenho um carinho enorme também, que admiro, que guardo aqui no lado esquerdo e agradeço muito pela presença na minha vida, mesmo a distância: Solzitcha, Jana, Charles, Willians, Marcela Hot, Filipe, Felipe, Amandinha, Hugo, Ana Paula, Murilo, Kelly, Nayane, Naiara, Talita, Thiago, Lidiane, Katia - professora de dança, Érika, Fabinha, Gisele, Andry, Clarinha, Madú, Tati, Alê, Tânia, Denise, Keomas, Mônica, Claudia Valoto, Claudia Torquato, Marcelo, Julio, Fernanda, Mariza Porto, Val, Cris Borrego, Lili, Selma, Guina, Angela, Edson, Eciênio, Cris, Beth, Fran, André, Marcão, Bela, Dolly, Kauê, Tamy, Denise...Peço perdão as que não estão com nome aqui, mas independente de nomes, todos aqueles que me apoiaram, torceram por mim e estiveram do meu lado, sou agradecido de coração.

Bjo Grande!

Dri Veríssimo

12.08.2006

Mais um ano acabando...


Mais um Reveillon chegando, mais uma noite de Natal por vir, e como já disse outras vezes, essa época do ano me deixa um pouco cabisbaixo, pensativo, reflexivo; afinal mais um ano sumindo do calendário, porém posso olhar novamente para tudo o que aconteceu nesse ano e posso rir, chorar, sentir saudade, querer de novo e por aí vai. Muitas coisas aconteceram nesse ano, muitas amizades conquistadas, muitos projetos bem sucedidos, muitas emoções no palco.....E como balanço de ano, digo: teatro, balada, 21 anos, Senac - Técnico em Ator, amigos, família, câmbio quebrado, Floripa, Bubu, "Tome um Táxi para o Devaneio", FECT, prêmio de melhor ator, Choro, riso, emoções, desanimo, cirurgia, esteticista, pneu furado, gravações, FENAPO, melhor espetáculo, Pequeno Príncipe, Rosa Tatuada, prêmio de melhor diretor, aulas de maquiagem teatral, Bodas de Sangue, Liberdade! Liberdade, Stanislavisk, " Nos Versos a Despedida ", reconhecimento, conquistas, beijos, BDG, Festa de aniversário, barzinhos, Tchês, Bar do Jegue, Grande AMOR, amigos inseparáveis e mantidos, poesias, novo blog, Lucena, Sarajevo, cervejas, " Devaneio ", perdas, ganhos, Infeliz Sol Quadrado, fundo do poço, fossa, Guarujá, aulas de corpo, aulas de voz, de interpretação, Carolzinha, Ma Yaya, Rafael, realizações, Novela Cidadão Brasileiro, Festival Internacional de Curtas de SP, Versos ao Acaso, Recanto das Letras, Frans Café, minha mãe-amiga, cinema, Cinemark, Kinoplex, Praia, Drive-in, motel, escuro, pegação, Zélia Duncan, Vanessa da Mata, Teatro Municipal, Espaço Grande Otelo, MC Donalds, Habib´s, aniversários de amigos, churrasco, festa junina, vinhos, posto de gasolina, curtição, zuera, aperto no coração, stress, passagens, pacotes, clientes chatos, rinite atacada, cabelos cacheados, cartas, cartões, feliz dia dos namorados, fotos, fotos e fotos, casamentos, Janaina, Kizzy, Charles, galera do Senac, techno, Seed Tur, Will, Felipe, amigos de teatro, sextas-feiras de bebedeira, cisto, troca de bateria, Long Beach, trânsito, MPB, testes, shoppings, pg, loucuras, besteiras, orkut, e-mails, Dona Coisa e Fulaninha, Xcaret, antibióticos, Espaço Azul, decepções, Tricolore, Colcci, TNG, boemia, bolero, ensaios, textos, All Star, bronzeamento, JS Models, Fonte do Ibirapuera, Gota d´agua, Carnaval nas baladas, Dangers, foda-se, palestras, oficina, DVDs, leituras, figurino a mão, lan-house, gato mia, mimica, cartomante, incensos e velas, Burguer King, Videokê, compras, vendas, dívidas, febre, amor, paixão, domingos na casa da avó, perigos e por aí vai...algumas das coisas que aconteceram na minha vida nesse ano, algumas pessoas dentre tantas importantes, lugares e um monte de coisa que parece passar em segundos na mente....

Agradeço a todos que colaboraram para que esse ano tenha sido assim, como gosto de fruta mordida. E espero que vocês continuem presentes no próximo ano...

Bjo Grande,

Dri Veríssimo

12.02.2006

A lua pode ser...



A Lua pode ser...

Sábado!
Que venha o dia do encontro,
manhã breve
de nuvens e raios entrelaçados;
a lua pequena no céu,
se foi, se escondeu
como uma criança
numa brincadeira;
Domingo!
Quarto fechado,
zunido - infernal
onde anda a lua?
a luz da lua
brilhante
a luz da lua
minguante
continua em brincadeira!
Segunda, Terça, Quarta...
E a vida, essa maneira inexplicável de existência,
essa misantropia,
Me faça branco! reluza em mim!
Banho de lua, de lobisomen
suma, não venha -
Já viu? Já ouviu?
Já encontrou a lua?
Quinta, sexta...
Sábado!
Ela se foi...
...e restou somente
a luz branca e clara dela
em meus olhos!
Quando você voltar,
avise-me...
...eclipse!
meu amor, LUA!

( Adriano Veríssimo )