5.24.2010

Barulhos do quarto Vizinho. Cartas ao quarto.

Olá, como você está? Tenho sentido falta de você nesses dias, estava acostumada a ouvir os barulhos dos seus passos andando apressado pela casa. Eu queria dizer que estou bem, andei um pouco gripada por esses dias, por isso não apareci na janela como é de costume todas as tardes. Pensei em você, é, pensei sim, fiz chá de erva cidreira esses dias, eu sei que você gosta e eu adoro, reconheci que estava tomando chá de erva cidreira esses dias por que reconheço de longe. Te senti meio triste por esses dias, mais precisamente no domingo; desculpe a indelicadeza, mas já me acostumei a ouvir as musicas do Raul em ultimo volume, até aprendi a cantar uma das musicas e neste domingo você não ouviu Raul, ouviu Caetano, quase que não reconheci o volume estava baixo, sei que era Caetano por algum momento entendi os versos do leãozinho. Espero que já esteja melhor, me dói saber que está mal, por que quando você está triste, automaticamente, me faz também. O que aconteceu com tua mãe? Ai, olha eu novamente querendo me intrometer na sua vida, é que ela saiu cabisbaixa esses dias, encontrei com ela no elevador, nos cumprimentamos, ela mal levantou os olhos e estranhei, por que estou pra conhecer uma mulher alto astral e tão bem arrumada como sua mãe, sempre de sorriso largo, roupas coloridas, unhas vermelhas e muitas jóias. Em todo caso, mesmo sem saber o que houve, mande um beijo a ela, admiro muito sua personalidade. Ah, a sindica esses dias veio falar de você, disse que você tem andado com más companhias, duvidei um pouco, afinal, somos parecidos, tão solitários, logo disse a ela que não pensasse e fizesse mal jus de você, pois sei que tens chegado tarde da noite por causa da pós-graduação e que umas cervejas a mais não faz mal a ninguém; e você é jovem, bonito, com esses cabelos cacheados, essa barba por fazer, que cá entre nós te deixa extremamente sexy, tem que curtir mesmo, só não te convido para um whisky qualquer noite dessas por que tenho tomado remédio, ando com umas dores de cabeça constantes, achei que podia ser sinusite, mas o médico disse que pode ser stress ou algo relacionado ao sistema nervoso, acho difícil, pois o único nervoso que tenho passado é com a falação da senhora do 33 e com os interfones da sindica reclamando do meu gato. Aliás, desculpe, fico até envergonhada, pelo vaso de flores de sua varanda que ele derrubou esses dias, ia limpar, só não limpei porque quando fui pra tentar me explicar você estava saindo com aquela moça bonita, bem afeiçoada, ela faz pós também? Ai, desculpe, olha eu querendo saber da sua vida mais uma vez, só achei que ela é um pouco diferente de você, acho que você precisa de uma moça mais bonita, charmosa, que saiba cozinhar, cuidar de você com carinho e que além de tudo, goste de seus defeitos e suas manias, mesmo sem ter trocado contigo uma conversa com mais de três diálogos e ainda assim pensa em você todos dias e todas as horas; uma moça dedicada e que saiba de Grotowski a Paulo Coelho, que ouça Dalva de Oliveira nos dias cinzas e grite desafinadamente, do quarto do lado, algo como: maluco beleza...Olha eu aqui, achando, querendo, desculpe...sou uma estabanada, eu só queria dizer que confundiram sua conta de água com a minha e ela está junto desse bilhete, espero que não pise nela quando abrir a porta. Um grande beijo. Ap. 25.

1 comentário:

Valeria disse...

aii, será que um dia eu vou morar num condomínio pra ter um vizinho assim também???

faz tempo que não vinha aqui!