5.15.2008

"Aos meus amigos" de Maria Adelaide do Amaral

Li esse livro há alguns anos, ainda era novo, gostei, só que assistindo os capítulos da minissérie global, fiquei instigado a ler novamente e quem sabe absorveria outros tipos de informações, afinal o menino cresceu e o tempo passou. E não deu outra, o livro vem me envolvendo a cada página, hoje é diferente. Vou deixar aqui um trecho do livro que eu gosto bastante.

"- Sinto saudade do tempo em que a gente era amigo.

- Eu também. Tenho saudade das piadas idiotas, da vida de todos passada a limpo, daquela espécie de adolescência revivida do afeto que nos unia, da família que éramos. Quando nos separamos, eu perdi a família. Nós temos que ficar juntos. Nós, que apesar de todas as diferenças nos queremos tanto, por tudo o que vivemos, pela cumplicidade que muitas vezes não é verbal, mas que se expressa na nossa afetividade, na agressão, no carinho que temos uns pelos outros, que é o carinho pela nossa juventude, nós não podemos romper, nos afastar.

- Que grande teatro! O que será que o Leo diria de tudo isso?"



Aos meus lindos amigos, um grande beijo no coração.

2 comentários:

marcela p. disse...

§

Lembra um pouco a música do Barão:

"Cada um fez sua vida de forma diferente
Às vezes me pergunto: Malditos ou inocentes?"

Bate isso, não bate? Ou como uma mortificação pela furiosa roda da vida que nos afasta, tal como o Vini fala...

Ah... Não quero ficar longe de vocês, não...

=/

Beijos...

§

Adriano Veríssimo disse...

Ahhhh eu tb não...

Não aceito desculpas! É VOCÊ POR PERTO E PRONTO...

rsrs

ti amu!

Beijin