6.23.2008

Por, pelas e pêlos...

Agora eu que falo

Me perdoa por ter desperdiçado meus beijos com você

Por ter olhado tão profundamente em teus olhos ao ponto de ver tua alma

Por me arrepiar toda vez que encostava em mim

Por aqueles momentos tão singelos e ao mesmo tempo tão febris

Por me inspirar tanto e me render alegrias

Pelas tantas palavras de amor que viraram histórias e poesias

Pelo seu cheiro ter se misturado com o meu naquelas tantas noites frias

Por rir das suas piadas idiotas e depois te abraçar com tanta força

Por aquele momento de duvida...e

Por aquele momento de certeza

Se me quer não sei se quero

Se te quero não quer

No fundo queremos, só não queremos mais querer

No fundo gosto, mais não quero mais gostar

Desculpa me incomodar com a sua falta de pudor e sua falta de respeito

Pelas madrugadas de longas conversas que nunca levam a nada

Por não conseguir olhar nos teus olhos quando tenho raiva

Pela confiança mutua que se foi e

Pela historia que poderia ter sido...

e não foi.


( Adriano Veríssimo )

15 comentários:

Cackau Loureiro disse...

Nossa, que profundo!

Já escrevi algo semelhante e profundo assim!

Tudo ou nada ... disse...

Gostei muito do seu canto tbm rapaz. Parabéns pelos escritos, pelas fotos e por prêmios recebidos através desta linda carreira que constrói a cada dia. Fique a vontade para voltar quando quiser lá em casa, vai ser uma honra ter a sua pessoa por lá sem dúvida.
Grande abraço

Adriano Veríssimo disse...

*Cackau obrigado minha linda...Volte sempre!

*Luciano, obrigado pela recepção meu querido! Estarei sempre por aqui aí, sem duvida alguma...

E estou linkando seu canto, afinal o que é bom é necessário compartilhar.

Grande abraço queridão e Beijo Cackau!

= )

Alexandre Hallais disse...

Teu mergulho ebtranha nas almas desvairadas e ouco iluminadas, teus textos nos deixam assim...
...
...

desculpe...
Parei por instantes para observar tua beleza, tua estrela, teu brilho...
Saudades desse canto maior, desse todo que é teu canto, desse espaço amplo e moderno, dessas idéias, desse aroma, desse tal de Adriano... de Veríssimo...

Amigo, peço perdão pelos dias que não venho aqui, e saiba que sou infeliz nesses em que não te leio.

Um beijo e um abraço querido,

Alê

Kari disse...

Engraçado como as coisas que poderiam ter sido e não foram são as que mais mexem com a gente, não é? São elas que nos intrigam e nos deixam pensando no "e se"...

Mas, se não teve que ser, é porque haverá alguma que seja e com certeza, será muito melhor!!!!!

Lindas palavras!!!!

Andei ausente, né? Me desculpa.... Mas voltei e daqui não saiu mais....

Beijão

Leonardo Werneck disse...

Hum, gostei do que li, profundo!

Abraços

H. Henrique disse...

Nossa Dri, que divino!!!

Adoraria ter coragem pra fazer esse tipo de desabafo!!!

E&Afins disse...

nossa muito foda ....

Adriano Veríssimo disse...

Alexandre é sempre um enorme prazer tê-lo aqui...E não somente aqui, mas com seu canto tão bom de estar e tomar um café...rs

Obrigado pelas palavras, te considero amigo e não suma novamente, não consigo ficar sem te ler...

Beijo e grande abraço!

...........

Kari minha Flor, estava com medo de vc ter me esquecido e abandonado esse cantinho aqui...Mas vc percebeu que agora estou sempre pelas tuas folhas de belas escritas...Já te disse o quanto você é especial e como seu canto é bom de estar neh!? E é a mais pura verdade!

Beijo enorme minha linda!

= )

................


Leonardo, valeu meu querido!

Volte sempre, as portas estão sempre abertas...

= )

................

Hugo, migow, esses desabafos é uma maneira de libertar-se de mágoas e rancores passados...

Experiente, pelo menos uma vez, vai ver como faz bem!
(Pelo menos eu acho! rsrs)

Beijo queridão!

= )

................

Emerson,

sempre por aqui, por aí...Valeu pela passada!

Beijo queridão!

.................


OBRIGADO QUERIDOS E VOLTEM SEMPRE!

Ludmila Prado disse...

foi sim.
só que passou, como tudo, um dia será apenas lembrança boa.
tudo que passamos nos ensina algo, e algo de bom você tirou disso, nem que seja apenas esse texto.
"tudo vale a pena, quando a alma não é pequena"
beijos

Ludmila Prado disse...

foi sim.
só que passou, como tudo, um dia será apenas lembrança boa.
tudo que passamos nos ensina algo, e algo de bom você tirou disso, nem que seja apenas esse texto.
"tudo vale a pena, quando a alma não é pequena"
beijos

Zek disse...

Meu amigo, eu meio que cai de para-quedas aqui no teu blog mas ..... que maravilhoso teu poema, teus versos retrataram uma epoca antiga da minha vida em cada letra....

Parabens !!!

marcela p. disse...

§

Muito chato isso de andar sempre na contramão um do outro.
Um dia, qualquer dia, um dos dois entra num desvio e se perde numa rodovia... ou se encontra...
Fato é que nunca mais voltaram a cruzar seus caminhos.
Muito chato isso.
Ou não.

§

Adriano Veríssimo disse...

Será bom ou ruim?

hmmmmmmmm...

rs

Beijossss Má!!!

vah...em minhas transições disse...

Obrigada pela visita!

sensibilidade...é bom sentir...
q bom q vc gostou...
gostei muito do seu blog...virei aqui mais vezes, aguardo visitas suas também...

beijo,
namastê
vah=)