2.13.2009

Vestido Estampando

Sabe essa foto grande aqui em cima, essa que estou com algumas correntes e de óculos escuro, pensando em algo? Do meu layout?
Foi tirada hoje. Exatamente hoje. Acorrentado, pensativo, de óculos escuro num dia chuvoso por causa do cisco nos olhos e pronto, prontíssimo para viajar, estar "a bordo de uma viagem sem fim".
Tirei essa foto hoje e fiz tudo que aqui está, hoje. Como um deus que fez toda a terra em sete dias. O número sete é cabalístico e pode contar muito; daqui a sete dias tudo isso aqui não será mais o mesmo, pois está as portas a festa da carne e eu não sou vegetariano, sou eu, Adriano, libriano, cabeça de pano, que sente raiva de vez enquando, que ri de vez enquando e que ama...nunca .
Os sete dias que vierem, serão difíceis, como talvez a quaresma católica e ritualística que chega depois da "carne", a quarentena, dita, maldita. Por menor seria uma quarentena sem nada, mas a vida é posta a prova a cada movimento e para viver é só abrir os olhos e que esta mesma vida fique completa é necessário haver os "ciclos", ciclos viciosos que todo ser recalcado passa.
Hoje ao tirar essa foto, com as correntes, mesmo com as mãos trêmulas, mal segurando o cigarro, encerrei um ciclo, para que o novo comece. E para a minha religião, a minha crença, Igreja dos Livros Mal Lidos e Amores Mal Vividos, é possível rolar na grama com quem já te esfregou a cara na lama, mas para isso é necessário mudar os ponteiros, acertar as horas e trocar as pilhas, justinho num segundo paralelo, o "tic-tac" volta a funcionar. É a ponte safena imaginária. O ciclo, dessa foto, fonte e demonstração desse espaço de meu mundo, inúmeras vezes surreal e alimento de informação, até para mim mesmo, que relembro situações por palavras torpes e inoportunas, ante sou eu, o mesmo, melhorado e revisado, talvez calejado, sob olhares vigilosos, sou eu o cabeludo de sempre, magrelo de sempre, amigo de sempre e com abraço e beijo quente como sempre.
Esse ciclo, por agora, se encerrou, o vestido estampado devolvido, agora, até o feriado, quarta-feira de cinzas e tá tudo acabado.

[suspiro longo e sem mais]

15 comentários:

Kizzy disse...

Nem preciso dizer que a sua palavras se encontram com meus sentimentos que acaba sendo um MESMA PESSOA ACREDITO...Pensamentos confusos e logicos ao mesmo tempo para mim claro...sendo assim obrigada pela expressão das palavras não ditas mais sentidas...

Te amo

Maria Flor disse...

Adriano,

Obrigada pela visita e que bom ter gostado da minha poesia.

Pode me linkar sim ,será um prazer tê-lo no meu cantinho sempre.

Quanto à você, ao que escreves, já és um velho conhecido meu... passei o pelo seu cantinho e guardo com carinho tudo o que aprendo nessas andanças..

beijocas,

flor!

beijocas

Kari disse...

Espero então que o novo ciclo venha para melhorar tudo. Para fazer tudo diferente, de uma forma melhor...
E quanto a foto... Ficou linda!

Mas ei moçinho! Eu não esqueci de tu não! E como poderia? POsso ter tirado o link, mas, vez ou outra eu tiro uns e coloco outros. E sabe, alguns eu não esqueço e de ti, eu não consegui... Vez ou outra ainda venho por aqui e, posso não comentar, mas passo para apreciar...
Prometo ser mais fiel, de agora em diante, viu? Começemos esse novo ciclo diferente, pode ser?

Beijão pra tu

Ale Danyluk disse...

Menino que eu adoro !
É tão fácil ler o que você quer dizer, o tempo vai passando, vou sabendo das coisas, das histórias, das verdades, da nova foto, que vc é libriano, talentoso, sangue bom, e que não precisará jamais usar uma máscara....a não ser no carnaval ou em alguma orgia por aí...
Mas deixa pra lá....
Beijooooooooooo
Se cuida.
Ale

Clara disse...

Eu estou aqui...vc sabe disse né?
Que seu carnaval seja colorido!!!!

marcela (arlequinal) p. disse...

§

Lembra daquela mania de responder com músicas? (sobretudo, em se tratando de carnaval?!!!!). Aí vai mais uma:

"A luz apaga porque já raiou o dia
E a fantasia vai voltar pro barracão;

Outra ilusão desaparece, quarta-feira
Queira ou não queira terminou o carnaval.

Mas não faz mal, não é o fim da batucada
E a madrugada vem trazer meu novo amor...

(...)

A gente ri, a gente chora
E joga fora o que passou...

A gente ri, a gente chora
E comemora o novo amor..."
E comemora o novo amor...

Beijinho!

§

marcela (arlequinal) p. disse...

§

Ah, é claro... mas antes disso tem que ter muito:

"... é com esse que eu vou, sambar até cair no chão..."

§

Adriano Veríssimo disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Adriano Veríssimo disse...

Kizzy minha Flor,
Que bom vê-la aqui...
Q bom q minhas palavras confusas te fazem pensar no q tens vivido...
Afinal, somos irmãos neh!?

rs

Beijo
te amo

........

Maria Flor,
Já está linkada Coração, gosto mto do que escreves...E fico feliz de vê-la sempre por estas terras...rs

Um grande beijo

........

Kari Kari,
Quantos anos que leio as tuas experiências de vida, teus textos de puro amor, sua maneira unica de expor o que sente...
E qto te cobrei, sei q tb estou falho em passar pelo teu canto, mas começamos agora tb um novo ciclo...(toh adorando a idéia)..rs..

Beijo enorme minha Flor

Saudade!

.......

Ale,
Como fico feliz qdo te vejo por aqui, sempre presente...é, o tempo vai passando, e é como um quebra cabeça, as pessoas que acompanham nossos diário (chamado Blog)...E adoro te ler tb...
Será sempre, sempre bem-vinda por aqui!
Tua presença é essencial!

E sobre o carnaval e as orgias, eu conto depois da quarta-feira de cinzas...rs

Beijo enorme
e se cuida!

........


Clarinha,
Claro que sei, sempre!
Pode deixar, colorido, fogueta e com serpentinas!

= )
te amo

.......

Maaaah,

Olha o que digo pra vc:
"Professor Girafales, QUE MILAGRE O SENHOR POR AQUI..."
haushaushaushau
Eu sei do teu tempo curto, mas é que sinto sua falta, SUAS RESPOSTAS MUSICAIS...E como sempre acha o tom, a melodia, o ritmo e a letra CERTA.

E agora eu canto:

"Bandeira Branca amor, não posso mais, ver a saudade que me invade eu peço paz..."

e

"mamãe eu quero, mamãe eu quero, mamãe eu QUERO MAMAR..."

kkkkkkkkkkkk

Beijo de saudade!
te amo

Adriano Veríssimo disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Filipe Macedo disse...

deixa o vento te levar meu irmão...novo ciclo, tudo novo.! Voe voe....Bons ventos

Renata (impermeável a) disse...

devolva o neruda que vc me emprestou .... e nunca leu...

Ssanyu disse...

agora te sigo sem hesitar.
te acompanharei até se cansar.
cada palavra será lida, absolvida e refletida.

um beijo meu bem!

"No centro de um planalto vazio
Como se fosse em qualquer lugar
Como se a vida fosse um perigo
Como se houvesse faca no ar
Como se fosse urgente e preciso
Como é preciso desabafar
Qualquer maneira de amar varia
E Léo e Bia souberam amar
Como se não fosse tão longe
Brasília de Belém do Pará
Como castelos nascem dos sonhos
Prá no real achar seu lugar
Como se faz com todo cuidado
A pipa que precisa voar
Cuidar de amor exige mestria"

Léo e Bia - Oswaldo Montenegro.

Que essas palavras se tornem verdades coradas em todas bochechas do universo!

ianarcan disse...

adorei o blogger e estou deixando uma poesia tambem abraços !!

tão profundo onde vc se encontra...
difícil e ingrime é o caminho
mas vc ai sosinho parte em pedaços meu coração
escuro e sem direção ,
olho bem no fundo pra te encontrar
lagrimas pelos chão
sigo com esperança de te achar
dentro desse tunel que se enfiou
sosinho como o silencio
perdido dentro do proprio tempo
negro e frio esta seu coração esperando
minha voz bem ao fundo
Em um ultimo suspiro
e escorrer de uma lagrima
dizer antes que acabe
pegue minha mão

JZ disse...

tudo é novo.
Eu quero que seja.
rs
Bjos