4.20.2009

A Noite

Alguém com cara de tampa de garrafa, uma mãe com seu bebê, feios, quase monstros. Ludibriar a alma com a profissão realizada, sem barreiras, sem inúmeras tentativas frustradas. O flash de um beijo longo, na boca carnuda, de gemido baixo, de ar na boca em cada respiração. O sexo oral, essencial para o gozo. Mudança de pensamento. São goles seguidos de vodka balalaika, com cara feia a cada golada e não dá para esquecer o riso estonteante dela, que atravessava a rua e gritava por mim do outro lado. E ele, que disse que me queria, de qualquer jeito, mas de qualquer jeito não pode ser, mesmo assim talvez eu fosse, se o pensamento não tivesse mudado e os nossos corpos entrelaçados, a pele branca e mulata, uma cor vanilla. O grito alto, do gozo, do desespero, do estômago, do pau, ou...nada.
Silêncio. E o cachorro latiu lá embaixo. 03hs da manhã.
Quem nunca dormiu com fome?

7 comentários:

Duanny!. disse...

noossa!
adoreei. hauahauahausa
seu blog é suuper de mais!

;D

Clara disse...

Caralhooooooooooooooooooooo

Gabriela Magnani disse...

O que seria alguém com cara de tampa de garrafa?

O Velho disse...

Vem me assistir nessa quarta, Veríssimo!

Passa no Velho pra saber mais!

Beijão!

;-)

Libélula da Noite disse...

O que seria alguém com cara de tampa de garrafa? [2]


rsrsrs Dormir com fome não pooode! rsrsr Toma água que passa rsrs

=)

Adriano Veríssimo disse...

Gaby e Libelula, desculpe por não entenderem, isso foi parte de um espetáculo que assisti semana passada, onde eles usavam como mascara a parte superior de um galão (http://www.diazzehair.com/galao.jpg) e fica a tampa era a boca...Uma imagem muito bacana por sinal...
Vejam se conseguem criar essa imagem...é bem bacana!

Anónimo disse...

fome de que?

hum!